top of page

ESPUMANTES: Diferença entre Champanhe, Prosecco e Cava?

Atualizado: 16 de set. de 2022

Aprenda a diferença entre eles, para não se referir erradamente,

aos diferentes espumantes que existem


Os espumantes são um símbolo mundial de comemoração. Toda celebração, seja ela um simples jantar a dois, brindes de final de ano, ou o brinde, pelo fato de se alcançar algum objetivo, algum êxito, como uma promoção no emprego, ou passar em um concurso, etc., é associada a abertura de um exemplar da bebida.

A principal particularidade dos bons espumantes é justamente a presença das borbulhas, que devem ser persistentes, finas e numerosas - "perlage".




Como as bolhas se formam - PERLAGE?


A palavra perlage vem do francês "perle", ou pérola, e é usada para se referir às bolhas de vinhos espumantes, champanhes e frisantes. Primeiramente, para entender os processos que envolvem a produção dos espumantes, é interessante saber como as borbulhas se formam na bebida.

Os espumantes são produtos de duas fermentações. Na primeira, elabora-se o vinho base, que ganha uma espuma quando é refermentado. Na segunda fermentação, ocorre uma reação química de transformação dos açúcares da uva em álcool. Um dos produtos dessa reação é justamente, o gás carbônico, que dissolve-se no líquido e só é liberado quando a garrafa é aberta. Além disso, também são formados álcool etílico e outros álcoois superiores que contribuem para os aromas do espumante.

O gás carbônico apresenta um gosto simples e suavemente acidulado, que adiciona um grande impacto gustativo e tátil à bebida.

A quantidade desse gás contribui para a vivacidade e frescor do espumante, reforçando seu gosto tânico e diminuindo o gosto doce. Como podemos ver, é muito errado e nocivo a qualidade e ao sabor da bebida, balançar ou sacudir, a garrafa antes de abri-la ... como vemos em muitos filmes e lugares, ... , pois isto diminuirá o seu perlage, as bolhas da bebida, modificando seu sabor e as sensações provocadas.


A DIFERENÇA

É muito comum ouvirmos que vão servir ou tomar champanhe ..., mas será que estão tomando champanhe mesmo? O povo chama qualquer espumante de Champanhe, mas na sua imensa maioria não o são. Para ser Champanhe, há a necessidade de preencher, certos requisitos.

Quais seriam estes requisitos? Acontece ,que além de possuir exclusividade no método de produção, as uvas tem de ser da região de "Champagne", na França. Devemos todos atentar também, para o fato, de que, não existe uma única categoria de espumantes ... Os espumantes diferem entre si, no sabor, processo de fermentação e uvas utilizadas.

Na verdade, como veremos, ate a região de sua produção interfere. Vamos diferenciar aqui os três espumantes mais conhecidos no mundo:

- a champagne, - o prosecco e - a cava.


Champagne


O Champagne é o espumante mais conhecido do mundo, quando falamos no assunto, e recorrente que seu nome é o mais citado, como sinônimo de espumante.

Na realidade, apenas espumantes feitos na região de Champagne na França podem ser chamados de Champagne. Eles devem ser feitos a partir certos tipos de uvas, que são :

- Pinot Noir, - Pinot Meunier ou - Chardonnay,

- ou frequentemente, de uma combinação das três.


A champanhe é produzida através do "méthode champenoise", um método inventado por um monge chamado Dom Perignon (hoje uma das mais famosas casas de champagne - marca consagrada) e refinado pela viúva (veuve) Clicquot (outra das mais conhecidas casas de champagne).


O MÉTODO

O método champenoise consiste em incluir mais fermento e açúcar à base do vinho, e então engarrafar o espumante para uma segunda fermentação. Durante este processo de segunda fermentação, o vinho fica em uma mesa com furos (inventada pela Madame Clicquot) que permite a inclinação ideal da garrafa, assim acontece a purificação da bebida, que ao ser girada manualmente e mantida inclinada, elimina os restos de levedura e sedimentos. A partir daí, a garrafa é congelada e aberta (eliminando os resíduos através da expansão dos gases) e então lacrada com a rolha novamente.

É UM PROCESSO EXCLUSIVO DETERMINADO POR LEI Por possuir exclusividade determinada em lei, nos métodos e região da colheita, a champagne possui um valor agregado maior do que o Prosecco e a Cava.





Prosecco


Prosecco é o espumante italiano mais conhecido, e compete diretamente com a Champagne em popularidade.

O prosecco verdadeiro, assim como a champagne, tem de ser feito na região de Veneto na Itália. Além da diferença geográfica das uvas, sua produção se difere da champagne, no método também.

Ocorre que na sua segunda fermentação, (a que cria as bolhas - perlage), esta é feita em tanques de aço ao invés de dentro das próprias garrafas. Isto faz com que seu sabor, do prosecco, seja mais suave e menos fermentado. Prosecco geralmente é mais doce que a Champagne ou Cava, com bolhas maiores e mais espalhadas, com notas ( percepção de sabor), de maça, pera, limão, florais e tropical.



Cava


Originárias da Catalunha, ao leste da Península Ibérica, esse espumante remonta ao século XIX, quando, em 1872, foram feitas as primeiras garrafas, em uma pequena cidade da província de Barcelona.

Inicialmente chamada de champán ou xampany, a intenção era imitar os vinhos feitos na região de Champagne, na França.

Mas, com o passar dos anos, os espanhóis perceberam que seu produto tinha qualidade elevada, porém, características diferentes da bebida francesa, e encontraram na palavra cava — que significa ADEGA ou cave — a sua melhor definição.

A Denominação de Origem só foi instituída em 1972, quando, assim como a champagne, passou a ser necessário seguir algumas normas para imprimir essa denominação nos seus rótulos

De acordo com a atual legislação, as zonas geográficas autorizadas englobam 106 cidades (das quais se destaca Penedés) espalhadas em sete comunidades autônomas:

- Catalunha, Navarra, Aragão, Rioja, Extremadura, Valência e Álava.


Suas características são serem feitas com as seguintes variedades de uvas : - Macabeu;

- Parellada;

- e Xarello;

- e em alguns casos com Chardonnay e Pinot.


Apesar das uvas serem diferentes, e da questão geográfica, o método utilizado para a produção da Cava é bem parecido com o da Champagne. Assim como a champagne, a segunda fermentação da Cava é feita dentro da própria garrafa, entretanto por estar fora da região francesa, o método é conhecido como "méthode traditionnelle".

Uma vez realizada a fermentação, é feito o processo de remuage.

No que consiste esta remuage?

Consiste em colocar as garrafas em um cavalete com o gargalo para baixo, onde durante alguns dias são giradas em 1/4 de volta, fazendo com que o sedimento decante na tampa.

Uma vez feito isso, congela-se o gargalo com nitrogênio líquido e remove-se a parte sólida. Apenas depois dessas etapas é que a bebida recebe o licor de expedição e a rolha.

O que é o licor de expedição? É o meio utilizado para realizar a distribuição do açúcar do produto final, onde se define a característica final do produto quanto a presença de açúcar.

Esta divisão se faz em:

- Extra-brut: até 6 g/L.

- Brut: 6,1 a 15 g/L.

- Seco: 15,1 a 20 g/L.


Além do método de elaboração ser obrigatoriamente o tradicional, para receber essa denominação, o espumante também deve permanecer em contato com as leveduras por, pelo menos, nove meses após a fermentação.

O que difere a Cava da Champagne são : - as uvas, - a região onde se produz, - e a mecanização do processo da segunda fermentação. Outra pequena diferença entre as duas, é o fato de que enquanto para a Champagne a técnica de girar e inclinar as garrafas é feito manualmente, o da Cava é feito por máquinas.

De cor amarelo limão, os Cavas podem ir de elegantes e delicados a muito encorpados

Por ficar menos tempo na segunda fermentação, a Cava tem notas cítricas, de melão, pêra e uma agradável acidez.

Por conta da forte incidência solar nas regiões produtoras, seu sabor e perfume são muito mais frutados. O inverno ameno traz uma docilidade às uvas produzidas lá, uma característica, transferida a estes rótulos.




DEGUSTAÇÃO DOS ESPUMANTES


Espumantes, assim como os vinhos, necessitam de serem servidas de uma forma adequada, e em taças também adequadas, afim de que possamos obter o máximo de suas sensações, como sabor, visual e aroma.

A taça adequada para apreciar um espumante é a que tem o corpo alongado e bojo estreito, a estilo flute.

Qual o porque disto? Esta escolha deve ser feita porque sendo cumprida se torna ideal para a análise visual da perlage, e também para conservar os aromas e os sabores delicados da bebida, que vão se abrindo aos poucos.

Ao servirem, ou estiverem sendo servidos, segure a taça inclinadamente, para não provocar perda de espuma, do perlage e aguarde completar até 2/3 do volume da taça.




TEMPERATURA

Um bom espumante deve ser servido em temperaturas bem baixas, preferencialmente entre 6°C e 8°C.


SEGURANDO A TAÇA


Existem etiquetas no mundo dos vinhos, dentre elas, uma muito importante, NÃO segurar a taça pelo bojo.

Muito mais do que uma etiqueta formal, esta regra tem uma finalidade prática, pois quando você segura a taça pelo bojo(corpo), provavelmente, acarretará no fato de esquentar a sua bebida, o seu vinho. (e não queremos isso, especialmente nos brancos ou espumantes).

Para evitar que isso aconteça é simples. Basta segurar sempre na parte debaixo da taça, ou seja, na sua haste. Uma outra forma de impedir, evitar esta consequência desagradável( esquentar a bebida) é, se preferir, segurar no fundo da taça.





bottom of page