THINK SAMBA, no Wework Carioca, foi um sucesso


Cercados de baluartes do samba, empreendedores, músicos e produtores de shows, o 1º Happy Hour de Negócios, aconteceu em clima de batuque, no Wework Carioca, no Centro da Cidade, e não poderia ser diferente, como uma legítima roda de samba. Presentes ainda Fernando Rieche, responsável pelo Projeto Garagem BNDES, Izabela Algranti (BNDES) e Fernanda Farah (Gerente do Departamento de Economia Criativa do BNDES), Ana Paula da Fonte Moura (Coordenadora Economia Criativa SEBRAE Rio), Zé Luiz do Império Serrano, Filô (Cultne), entre outros.

O projeto, elaborado pela Rede Carioca de Rodas de Samba, mostra que além da diversão, o samba anima e esquenta a economia carioca. Em toda a cidade do Rio de Janeiro, rodas de sambistas aumentam e se multiplicam, atraem um público que só cresce e geram renda e empregos. Ou seja, um case de sucesso de um produto genuinamente brasileiro.

Não é à toa que o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social escolheu a Rede Carioca de Rodas de Samba para um processo de apoio a startups. No programa BNDES Garagem, onde integrantes do grupo já estão engajados em atividades relacionadas à criação de empresa e aceleração de resultados. “A ideia é tentar aproveitar ao máximo o potencial econômico, turístico e cultural desses eventos”, alega o músico Luna. Já estiveram inclusive na II Conferência Internacional de Economia Criativa, em Fortaleza - CE, em junho. E Marcelo Santos e Wanderson Luna dividiram com representantes de diversas cidades o caso "Rede Carioca de Rodas de Samba", onde apresentaram a importância da economia da cultura nas grandes cidades do mundo.

E eles estão mudando a forma do pensar e como pensar sobre as rodas de samba, o projeto vem pretensioso: tem com objetivo geral promover a valorização dos sambistas e fortalecer as rodas de samba como vetor de desenvolvimento social e econômico na cidade do Rio de Janeiro. A missão é integrar e fortalecer as rodas de samba cariocas, a partir do desenvolvimento de suas potencialidades culturais, sociais, artísticas, turísticas e econômicas.

O evento de ontem contou com apresentação da Rede Carioca de Rodas de Samba, seguida de exibição de mini documentário de 22m, com depoimentos dos gestores do projeto, músicos renomados e mostragem de diversas rodas de samba.

“O BNDES acredita na vocação do Brasil para a Economia Criativa. Acreditamos que nosso país e nossas organizações podem se destacar no cenário internacional. Temos exemplos de reconhecimento sobre a qualidade de nosso conteúdo. E para que essa trajetória seja bem sucedida, acreditamos que os setores da Economia Criativa precisam fortalecer a sua atuação e visão de cadeia produtiva. Estamos falando de uma rede complexa, formada por um ecossistema repleto de organizações e empresas de pequeno porte que abrigam todo o potencial de inovação e de geração de propriedades intelectual. Nesse caminho, rumo ao fortalecimento do setor de Economia Criativa, acreditamos que, é necessário difundir a visão de sustentabilidade financeira dos projetos e planos de negócios. No nosso entendimento, ainda há muito espaço para novos serviços de maior complexidade num mercado de Economia Criativa mais maduro. Nesse contexto, também, se faz necessário entender que nesse setor, os elos são totalmente interdependentes, ou seja, para que se tenha sucesso, um elo depende fortemente do outro", afirmou Fernanda Farah – Gerente do Departamento de Economia Criativa, TI e Telecom do BNDES.

"Estamos pautando uma mudança de mentalidade, pretendemos provocar interesse na forma de organização e articulações, tanto para o poder público local, quanto para sociedade cível em geral", atesta Marcelo Santos - Rede Carioca de Rodas de Samba / RS

Sem dúvida alguma é uma cadeia produtiva promissora, capaz de fomentar o desenvolvimento econômico e social da Cidade do Rio de Janeiro. "Estamos diante de uma grande oportunidade de atuação do Setor Público em parceria com o Setor Privado e o BNDES pode ajudar bastante nesse processo de articulação e formulação de políticas públicas para o setor.” Diz Izabela Algranti – madrinha do Projeto / BNDES.

"E por isso o projeto de Rede Carioca de Rodas de Samba é tão aderente ao que pretendemos fazer.", completa Fernanda Farah

Após as devidas apresentações, o encontro foi arrebatado por uma roda de samba, com revezamento de diversos músicos, onde passearam por clássicos de Cartola e Dona Ivone, entre outros. E não foi só isso, empreendedores de outros setores também estão nesse cenário, os convidados foram servidos com comidinhas da Angurmê Culinária Afro-Brasileira, delícias como angu carioca, que é o angu com carne moída e queijo ralado e caldo de ervilha. Rosalinas - das meninas Roberta Assunção e Vivian Chagas, atacaram com cestinhas de legumes e berinjelas temperadas. Além de degustação das cervejas Rebouças (De Janeiro) e Roter (Ogro Beer). Na ala visual, exposição de fotos de Ierê Ferreira - com 6 obras do projeto Samba Identidade Nossa e também pintura de Laerte Heredia - com o projeto Ori Fine Art.

A Rede Carioca de Rodas de Samba, vem se movimentando para apresentar e mostrar uma gama de negócios. E logo, logo, eles trazem outras ações, para promover o desenvolvimento socioeconômico local e preservar as matrizes do samba carioca.

Fotos de Tom Stephan


15 visualizações

Copyright  Absolute Rio. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização.  Site art by MARISA ARAUJO