Reflexão sobre a pandemia

Atualizado: Jun 28


Hoje eu quero sair de rosa, para honrar as mulheres maravilhosas que vieram antes de mim e abriram o caminho para ser quem eu sou.

Também quero sair de verde, para honrar a mãe Natureza, universo feminino que nos abraça a cada amanhecer com um lindo nascer de sol! Quero ser grata pelo lindo canto de um pássaro que gentilmente me visita na sacada da minha janela todas as manhãs. Ele está brindando a vida com seu suave cântico. Hoje eu quero sair de azul, da cor do mar, da cor do céu!

Quero sair de amarelo para celebrar a alegria! Quero sair de vermelho para brindar o amor! Quero respirar o frescor do dia, andar pelas ruas, abraçar os amigos, dançar, cantar, gargalhar ao lado daqueles que amo. E também ao lado daqueles que vou amar!

Hoje eu quero a liberdade de poder ir e vir. Hoje quero andar sem rumo pelo mundo, mas é bom que eu esteja mais recolhida e que só saia para aquilo que é essencial para minha subsistência. Devo sair de máscara e luvas. E viver os abraços através das minhas doces recordações. É bom que eu procure me recolher, mas que eu jamais perca a positividade e a sanidade. E que eu reflita realmente sobre o lugar aonde reside a maior prisão que um homem pode ter, dentro dos seus próprios pensamentos. É importante e vital para minha sanidade que eu tenha a plena certeza que tudo isso vai passar, porque na vida tudo passa. Qual a lição que preciso aprender nessa pandemia?

Ser mais gentil comigo mesma e com o próximo. Aprender a exercer o amor incondicional através do isolamento, que pode ser bom ou mau, só depende do meu amor próprio. Que Deus e a força maravilhosa da humanidade possam estar ao meu lado nesse atual momento. A vida sempre segue. Ela é linda se for vivida com muito amor, sempre! Fiquem com Deus meus queridos leitores. Gratidão por estarem comigo nessa reflexão.



0 visualização

Copyright  Absolute Rio. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização.  Site art by MARISA ARAUJO