Mulher, você é uma jóia rara!

Atualizado: Mai 20

Por Lou Amaral

Texto de Alessandra Cordeiro

Fotos @paulinhorodriguesfotos



Ganho de peso corporal em época de incerteza


Lembro-me muito bem da euforia, alegria e otimismo que senti ao passar no concurso público que tanto almejei e empreendi esforços, tempo e dedicação! Devido a esta aprovação eu e minha família nos mudamos para uma cidade no interior do Rio de Janeiro e minha realidade mudou completamente. Passei a morar em um lugar sem engarrafamento, perto do trabalho, do banco, da igreja, da futura escola do meu filho e também do mar. Ah, como sonhei em morar perto do mar! Nos mudamos para uma cobertura que nos permitia contemplar a Lagoa de Imboassica encontrando-se com o mar e este se confundindo com o céu mais azul que já vislumbrei!


Pensei que finalmente iria desfrutar de uma sensação de plenitude, todavia mergulhei em um estado de agonia, pranto e angústia. Por inexperiência, aliada ao desconhecimento, eu não percebi que estava vivenciando um processo migratório e que este fator (a migração) envolvia perdas, adaptação e reorganização das relações interpessoais, por exemplo.


A medida em que os dias passavam eu me entristecia e me frustrava. Mergulhei em águas profundas demais e em meio a um turbilhão de emoções acabei desenvolvendo hábitos alimentares que me conduziram ao excesso de peso corporal. Paralelamente ao peso extra que ganhei, minha autoestima diminuiu consideravelmente, além disso, tive dores musculares fortíssimas, distúrbio do sono, problemas circulatórios, esporão e refluxo noturno que de tão intenso me causou sensação de sufocamento. Que situação terrível! Eu seguia caminhando agitada, nervosa e sem estratégias para enfrentamento eficaz tanto das questões que se levantaram diante de mim quanto das “feridas” emocionais que em outro contexto não doíam tanto.



Ao longo da minha jornada percebi que pessoas com as quais eu me relacionava acabavam reforçando meu desespero. As mesmas não conseguiam compreender o que se passava de errado em minha vida. Segundo elas eu não tinha problemas de verdade, pois afinal agora eu era concursada pública. Que absurdo!


Durante este período tenebroso vivenciei e compreendi que a vida é muito mais do que comer e vestir. A vida é muito mais do que somente ter as coisas.


Viver bem implica em se relacionar com o nosso Criador, com o Pai Celestial principalmente em períodos de adaptação e momentos de incerteza, típicos desta pandemia e consequente isolamento social que estamos vivenciando.


Foi então que me surpreendi com o que Deus fez em minha vida: Recordo-me perfeitamente que num período em que meu organismo já se encontrava fragilizado devido a ingestão alimentar excessiva, comi dois pedaços de pizza generosamente recheados e como consequência tive enjoos associados a ânsia de vômito, inapetência e um discreto aumento da minha temperatura corporal por aproximadamente uma semana.


Agendei uma consulta com o gastroenterologista e neste meio tempo senti meu corpo sendo reestruturado. Fui perdendo constantemente os quilos extras! Neste curto espaço de tempo, deixei para trás o manequim 46 e passei a vestir 42. Incrível! Minha autoestima aumentou extraordinariamente e fiquei perplexa mediante esta transformação.


A partir daí tive ânimo para cuidar da minha saúde com o auxílio de profissionais e fiquei mais atenta em relação ao ato de comer. Meses depois também passei a realizar jejum intermitente de 16 horas. Atualmente estou no manequim 40 e sigo extremamente grata não só por ter emagrecido, mas também porque pude perceber o quanto gosto do meu biotipo! Hoje me aceito e valorizo a estrutura longilínea do meu corpo que era tão natural para mim.


Atualmente, estudo sobre os distúrbios do peso corporal associados a ansiedade. Além disso, compartilho minha experiência, vivência e conhecimentos técnicos com mulheres que querem emagrecer, quer sejam elas minhas alunas, amigas pessoais ou pessoas que se conectam a mim através das redes sociais, pois entendo e acredito que é possível conduzi-las ao gerenciamento do seu próprio comportamento alimentar visando o emagrecimento e principalmente a manutenção do peso corporal associada a promoção da saúde.


Desafios e lutas sempre virão, mas quando aprendemos que Deus está no controle e continua cuidando de nós, não nos desesperamos, pelo contrário, caminhamos dia após dia de forma mais confiante, esperançosa e estratégica.






Abraços,


Alessandra Cordeiro, PhD.

Nutricionista, Fisiologista.

Dra em Fisiopatologia Clínica e Experimental.

Professora Adjunta da UFRJ- Macaé

Instagram: @alecordeiro.nutri

Youtube: Comportamento Emagrece








Provérbios 31: 10

Mulher virtuosa, quem a achará? O seu valor em muito ultrapassa os das mais finas jóias!



268 visualizações

Copyright  Absolute Rio. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização.  Site art by MARISA ARAUJO