top of page

Entenda os jargões do mercado financeiro: Aprenda a linguagem do mercado financeiro


Dica: Antes de você começar a ler esse artigo, queria pedir que se inscrevessem também na newsletter da BPO Innova Brasil, Tecnologia e Negócios: uma recapitulação de notícias sobre negócios e tecnologia lançada semanalmente. Clique aqui para acessar.

O mercado financeiro pode parecer um mundo impenetrável e cheio de jargões. Mas, com um pouco de esforço, é possível aprender a linguagem do mercado financeiro e dominar as conversas.


Na newsletter desta semana, vou apresentar os principais jargões do mercado financeiro e o que eles significam.

Jargões do mercado financeiro

O que são jargões?

Os jargões são termos usados em um determinado campo ou área de atividade que podem não ser compreendidos por pessoas de fora dessa área. Em geral, os jargões são usados para simplificar ou abreviar a comunicação entre os especialistas na área. No entanto, esses termos às vezes podem confundir as pessoas que não estão familiarizadas com eles.

Por que os jargões existem no mercado financeiro?

Os jargões existem porque o mercado financeiro é um lugar complexo e as pessoas precisam de uma forma de se comunicar sobre os assuntos de forma concisa. Os jargões são uma forma de fazer isso, e eles permitem que as pessoas se comuniquem de forma mais eficiente.

Aprenda a linguagem do mercado financeiro

Termos básicos de mercado financeiro

Os termos mais importantes do mercado financeiro são aqueles relacionados às ações, títulos e outros ativos. Aprenda a seguir os significados dos principais termos usados nas conversas sobre investimentos:


Ação: É um título que representa uma fração do capital social de uma companhia aberta. Ao comprar uma ação, o investidor se torna sócio da empresa e tem direito a receber dividendos (se houver) e participar da assembleia geral de acionistas, onde poderá votar nas decisões tomadas pelos administradores da companhia. As ações são negociadas na Bolsa de Valores


Bolsa de Valores: É o local onde são negociadas as ações das companhias abertas. A Bolsa funciona como um mercado, onde os compradores e vendedores se encontram para realizar as operações. As transações na Bolsa de Valores são regulamentadas e controladas pelas autoridades competentes, como a Comissão de Valores Mobiliários (CVM).


Cotação: É o preço pelo qual uma ação é negociada na Bolsa de Valores. A cotação da ação reflete o valor que os investidores atribuem à companhia em questão e pode variar ao longo do dia, conforme as negociações forem ocorrendo.


Investidor institucional: São fundos de investimento, seguradoras, bancos e outras instituições que possuem grande poder aquisitivo e costumam realizar grandes investimentos em ações. Os investimentos institucionais têm grande peso nas decisões do mercado financeiro e podem influenciar significativamente o preço das ações.


Derivativos: Um derivativo é um produto financeiro baseado em outro ativo, como uma ação, moeda ou commodity. Os derivativos são usados para realizar hedge (redução) de riscos financeiros.


Liquidez: A liquidez refere-se à facilidade com que um ativo pode ser convertido em dinheiro sem perder seu valor. Ações são consideradas altamente líquidas, pois podem ser facilmente negociadas na bolsa de valores. Outros ativos, como imóveis, são menos líquidos porque levam mais tempo para serem vendidos e podem sofrer grandes flutuações no preço.

Termos mais avançados de mercado financeiro

Os termos mais avançados de mercado financeiro podem parecer confusos e intimidadores, mas não precisam ser.

Com um pouco de conhecimento, você poderá compreendê-los e até mesmo usá-los em suas próprias conversas. Aqui estão alguns dos termos mais avançados que você encontrará:


Blue Chip:

É um apelido para os papéis da Bolsa de Valores que possuem maior liquidez e capitalização no mercado, como Petrobras (PETR3; PETR4), Vale (VALE3), Bradesco (BBDC4), Itaú (ITUB4) e Ambev (ABEV3). Essas ações estão sempre entre as mais negociadas no dia.


Bearish / Bullish:

Esses termos descrevem o humor do mercado. Bearish significa que o mercado está caindo e os investidores estão vendendo, enquanto bullish significa que o mercado está subindo e os investidores estão comprando.


Rally:

O termo é utilizado no mercado acionário quando a Bolsa sobe de forma abrupta por dois ou três dias, por exemplo. Isso acontece quando os investidores estão comprando ações em grande quantidade.


Upside:

É o quanto o preço de um ativo financeiro pode subir em comparação com a cotação atual. Por isso é dito a frase “o ativo ainda tem o upside de 10%”, por exemplo.


Benchmark:

É um indicador de referência usado no mercado financeiro, que permite comparar o desempenho dos demais ativos. Os fundos de investimentos, por exemplo, utilizam a ibovespa como benchmark. Já para os ativos de renda fixa, um exemplo de benchmark é o CDI.


Shortear:

É a prática de se posicionar como “short”, que significa “vendido”. Acontece quando um investidor ‘aposta’ que um determinado ativo vai cair, seja uma moeda, como o dólar, ou a ação de uma empresa.


Day trade:

São as operações do mercado financeiro que se iniciam e terminam no mesmo dia. Elas costumam ser um pouco mais arriscadas por conta da alavancagem com que as corretoras distribuem para os players. Em contrapartida, o day trade reduz o potencial de perda das operações, uma vez que o investidor não fica “posicionado” entre dois pregões

Hedge:

Esse termo é utilizado quando um investidor compra um ativo e se protege usando um ativo descorrelacionado.

Domine as conversas!

Dicas para utilizar os jargões do mercado financeiro na prática


Com algumas dicas, você pode incorporar os termos em sua rotina e ter conversas mais fluídas sobre o mercado financeiro.


Aqui estão algumas dicas para utilizar os jargões do mercado financeiro na prática:


1. Aprenda a linguagem do mercado financeiro. Como qualquer outro jargão, os termos do mercado financeiro podem ser difíceis de compreender se você não estiver familiarizado com o assunto. Aprenda o significado de alguns dos termos mais usados e faça uma lista para referência futura.


2. Utilize os jargões corretamente. Quando for usar um termo do mercado financeiro, certifique-se de que está usando-o corretamente. Em alguns casos, o contexto pode mudar o significado de um termo, portanto, esteja atento às nuances.


3. Evite usar jargões quando conversar com leigos. Se você estiver conversando com alguém que não tem conhecimento sobre o assunto, evite usar jargões do mercado financeiro para não confundir a pessoa. Use termos mais simples para explicar conceitos complexos de forma mais clara e concisa.


4. Preste atenção ao seu interlocutor. Quando estiver conversando com outras pessoas sobre o mercado financeiro, observe se elas estão entendendo o que você está dizendo. Se perceber que há confusão, explique os termos de forma mais simples ou utilize exemplos práticos para ilustrar seus pontos

Conclusão

Se você é empreendedor ou pretende se tornar um, aprender a linguagem do mercado financeiro é fundamental para conversar com investidores, bancos e outros parceiros do mercado. Siga meu newsletter no linkedin e aprenda ainda mais sobre o mundo dos negócios!


CEO | Conselheiro Fiscal e de Administração | Palestrante | Social-Selling | Mentoria para Startups


bottom of page