COB realiza seminário no Rio de Janeiro sobre skatista e possível medalhista mais jovem do país


Centro de Treinamento Time Brasil, no Parque Aquático Maria Lenk sedia discussão de planejamento para Tóquio 2020, do financeiro à competitividade Evento realizado no último fim de semana, teve a polêmica mesa de debate sobre “Prevenção e cuidados do esporte competitivo, de alto rendimento, para menores entre 14 e 18 anos”. Curiosamente, a principal fonte de discussão está ainda fora deste quadro, a pequena Rayssa Leal, conhecida como ‘Fadinha do skate’, já campeã brasileira e vice-campeã mundial, com apenas 11 anos, é medalhista e conhecida nas mídias sociais, com quase 500 mil seguidores e grandes patrocinadores, como Nike, Monster Energy, Hondar Skateboards e Stronger Trucks.

O COB (Comitê Olímpico do Brasil), a CBSK (Confederação Brasileira de Skate), os pais de Rayssa Leal, além de outros atletas, discutem constantemente como deve ser o tratamento a esses competidores prematuros. Ainda mais no caso da maranhense Rayssa, que se tornaria a medalhista olímpica mais jovem da história do país. O evento contou com o mediador, Jorge Bichara (diretor de esportes do COB) e como convidados, Luciana Lopes da Costa (especialista em direito esportivo, Eduardo Musa (presidente da CBSk), Breno Schor (médico do COB), Carlos Cavalheiro (do Laboratório Olímpico do COB), Aline Wolff (psicóloga do COB) e Juliane Fechio (psicóloga da CBSk).

Uma das principais palestrantes do dia, foi a determinada e referência na luta pela profissionalização do futebol feminino, Luciana Lopes da Costa, advogada brasileira especializada em direito desportivo, Mestranda em Direito Desportivo pela Puc-SP (2016-2018). Master of Laws (LLM), Fundação Getúlio Vargas. Atua há 15 anos na justiça desportiva, representando diversos clubes de futebol, Federações e atletas no TJD/RJ do Futebol, STJD do Futebol, Federações esportivas internacionais e Corte Arbitral do Esporte (TAS/CAS). A especialista em direito esportivo, é participante de diversos debates, mesas, colóquios, simpósios, congressos e jurisports. Dra Luciana Lopes, diz que a sua intervenção no evento foi para falar sobre a lei Pelé, que é a lei geral do desporto, e não se trata sobre a proteção do menor no auto rendimento, ela se preocupa tão somente em definir a idade do atleta em formação, que é de 14 anos, mas também não impede atleta menor do que isso participar de competição.

Coordenadora e apoiadora de eventos jurídicos, comentou que o evento foi uma troca de experiências única. “Enriquecedor ter palestrado neste domingo para os treinadores olímpicos que irão a Tóquio em 2020, sobretudo para falar de um tema importantíssimo, que é a proteção do menor atleta de alto rendimento. Principalmente em um momento em que uma das promessas do skate mundial, a atleta brasileira Rayssa, de apenas 11 anos, está próxima da vaga olímpica”, ressalta a advogada.

O assunto garante seguir em debate até que a jovem Rayssa confirme sua vaga olímpica. Ou melhor, até a competição acontecer em Tóquio.

Foto: Guilherme Taboada/COB


0 visualização

Copyright  Absolute Rio. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização.  Site art by MARISA ARAUJO